A Matrix e a Privacidade

privacyplease

O conceito de privacidade embora pareça tão implícito nos dias de hoje não é tão velho assim, surgiu em meados do século XVI o que dá a entender que antes disso provavelmente suas opiniões, medos e convicções seriam compartilhados por uma rede de informações regidas pelo boca-a-boca de sua respectiva comunidade, num verdadeiro “reality show” da Idade Moderna.  Porém, cada vez mais parece que este conceito tem se deteriorado e o surgimento da Internet (chamemos carinhosamente aqui de Matrix), facilitou o quanto nossa vida pode ficar exposta.  nos causando danos às vezes irreparáveis.

Zoe Quinn (sim, a mesma “cyber girl” com  o chip na mão, veja aqui) recentemente foi vítima de “cyberbullying”, onde foi acusada pelo ex-namorado de traí-lo com jornalistas e críticos de games para promover seu jogo “Depression Quest”. A coisa foi tão longe que além de ser perseguida nas redes sociais chegou a ser ameaçada, chegando a declarar que não se sentia segura em casa.

Um outro exemplo são os inúmeros casos de “revenge porn”, cometido geralmente por ex-ficantes ou ex-namorados, onde são expostas em sites fotos e videos das respectivas garotas na maioria fazendo sexo explícito. Já foram muitos desses casos que culminaram no suicídio de tais garotas.

Não estou aqui pra mandar ficar longe da Matrix, pelo contrário, nunca tivemos tanto acesso a informação desde sua ascensão. Mas é inegável o fato de que devemos ter cuidado com o que expomos de nossa vida pessoal, especialmente em redes sociais onde mais e mais a intimidade se torna um espetáculo para ganhar “likes”. Talvez seja apenas um devaneio de minha parte, mas nunca foi tão fácil denegrir alguém como hoje.

Anúncios

2 comentários em “A Matrix e a Privacidade

  1. Numa info de 2014 li, na coluna que coisas que ficarão obsoletas em breve uma palavra que a princípio me chocou:
    “PRIVACIDADE”
    A ideia de que a privacidade em breve será algo que somente os freaks e amishes usufruirão é assustadora. Na Matrix original do Sprawl, nem o submundo estava sobre os olhos do big brother Sense/Net. Construtos baseados em logs de tudo o que um cowboy fez no cyberspace e a capacidade de flipar para a cabeça dos outros tornava qualquer um deus onipresente e escravo vigiado. A cada dia mais os termos de privacidade são mais intrusivos, e aguardo o dia próximo que os acordos de privacidade conterão a seguinte linha:

    Privacidade?

    * Sim
    * Não

    Sendo que somente na 2ª opção será possível não ser mais um membro da resistência pro-privacidade.

    Ape Caesar, comecem dizendo Não!
    Líder da revolução símia terrestre.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s